Insumos como milho, soja, farelos, óleos e embalagens estão mais caros desde a segunda metade do ano passado e já pressionam as margens das grandes processadoras de carne em atuação no Brasil, o que pode impactar os preços desses produtos neste ano. A BRF, maior processadora de aves do Brasil, afirmou nesta quinta (13) que precisou impor maior austeridade no controle de despesas para compensar o aumento dos custos. O rigor acontece mesmo em um cenário de aumento de 18% do lucro da empresa, que alcançou a cifra de R$ 22 milhões no primeiro trimestre.
“Sem dúvidas, teremos ao longo de 2021, uma readequação de preços, à luz do novo patamar das commodities. Vai impactar a indústria de alimentos no mundo todo”, disse Lorival Luz, presidente global da BRF. “O aumento de preços não é da BRF, ele vem de forma estrutural. Milho, óleos, soja, farelos, embalagem, papelão e as outros custos estão mais caros. São aumentos muito significativos, acima de 50%.”


Nesta semana, a Marfrig também apontou, na divulgação de seus resultados, a redução das margens na operação no Brasil devido aos preços maiores dos bovinos. A pressão de custo foi compensada pela melhora dos resultados na América do Norte, disse a empresa. “Foi o trimestre mais forte de nossa história, mesmo que na América do Sul enfrentamos um cenário de escassez de gado e aumento recorde dos preços, sobretudo no Brasil”, disse Marcos Antonio Molina dos Santos, presidente do conselho de administração da empresa.


A Marfrig informou ter registrado receita líquida de R$ 17,2 bilhões, um aumento de 27,7% em relação ao mesmo trimestre em 2020. O lucro líquido foi de R$ 279 milhões. Com a demanda doméstica enfraquecida, a Marfrig afirmou que as exportações foram o “vetor de rentabilidade do setor de proteínas no Brasil”. Ainda assim, o volume de abates caiu. “A combinação entre a escassez de matéria-prima, o aumento de custos e um mercado interno enfraquecido levou os frigoríficos brasileiros a reduzirem em mais de 45% sua produção neste ano, segundo levantamento da taxa de ociosidade do setor feito pela Scot Consultoria”, disse a Marfrig, em relatório de resultados.

FONTE: O ESTADO CE