A secretária de Gestão de Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, teve a convocação aprovada, nesta quinta-feira (13), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado Federal. Ela, que já presidiu o Sindicato dos Médicos do Ceará, se candidatou ao Senado em 2018 pelo PSDB, tendo deixado o partido pouco depois.


O requerimento aprovado na CPI a convoca para falar sobre a recomendação do uso de cloroquina, que a integrante do Ministério vem defendendo para uso em tratamento precoce à covid-19 no Brasil. No mesmo dia, os senadores também aprovaram reunião com a médica Nise Yamaguchi, pelo mesmo motivo. O depoimento de Mayra será dado na próxima quinta-feira (20).


Mayra deverá ser questionada também pelo senador Tasso Jereissati (PSDB), que a apadrinhou em 2018 durante a candidatura da médica. À época, ambos estavam na oposição ao governador Camilo Santana (PT), ao lado do deputado Capitão Wagner (Pros) e do hoje senador Eduardo Girão (Podemos), com Tasso tendo se distanciado do grupo desde então.


Girão, um dos dois candidatos ao Senado apoiados por essa aliança naquele ano, conseguiu se eleger, enquanto Mayra ficou em quarto lugar, com 11,37% dos votos. Ele também estará presente na ocasião, sendo membro da CPI. Girão, que se declara independente, tem se alinhado às posições dos parlamentares governistas nos assuntos da Comissão, enquanto Tasso, em conformidade com a postura que hoje toma no cenário local, vem atuando na oposição ao governo federal.

FONTE: O ESTADO CE