Butantan pedirá que o uso da Coronavac seja definitivo à Anvisa até dezembro. O Instituto Butantan quer pedir o uso definitivo da vacina Coronavac, do laboratório chinês SinoVac, na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) até dezembro e repetir a solicitação para imunizar crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. Por enquanto a espera é por novos documentos da China.

 

 

As atualizações foram levadas à Brasília pelo diretor do instituto, Dimas Covas, que conversou na tarde de quarta-feira (10) com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz. Foi Cruz quem conversou com a imprensa, “Nós conversamos sobre prazos. Perguntamos para eles qual era o prazo esperado de aprovação para o registro definitivo da Coronavac na Anvisa. E também deixamos claro que, para esse ano, não há expectativa de compra, não só da Coronavac, mas de qualquer outro imunizante”, continua, “a expectativa é que a gente vire o ano com sobra de 130 milhões de doses e já temos duas estratégias de compra para poder fazer vez ao processo de vacinação em 2022, garantindo uma dose para todos os brasileiros acima de 18 anos e duas para os maiores de 60. E se, eventualmente, tivermos a ampliação do público vacinável, também teremos imunizante”, explicou Cruz.

 

Redação e edição: Rádio Metropolitana Am 930